O Cordeiro Tipificado

“Entre Nós” – Ministério de Jovens da IEB

Devocional para Páscoa: O Cordeiro Pascal (I Coríntios 5.7)
-Sexta – 10/04/20
-Texto base: Gênesis 1,2 e 3.
-Tema: O Cordeiro tipificado

A narrativa bíblica do Jardim do Éden é muito rica. Ali percebemos o propósito original de Deus para a criação (Gn 1), os deveres do homem como administrador daquilo que Deus criou (Gn 1.26-31) e a natureza do relacionamento de Deus com a humanidade (Gn 2) . Esse relacionamento tinha como fundamento um pacto, que foi estabelecido pelo próprio Deus. O pacto de Deus com homem, ou seja, com Adão e Eva, representantes de toda a humanidade, exigia obediência (Gn 2.16). Mas eles decidem quebrar esse pacto desobedecendo a Deus, e essa desobediência trouxe várias consequências:

-Mentais: Gn 3.6-7
-Emocionais: Gn 3.8-10
-Relacionais: Gn 3.10.13 e 16
-Físicas: Gn 3.16 e 19
-Na criação: Gn 3.17-18

Mas a principal consequência foi a morte, não só a morte física, mas a morte do relacionamento com Deus. O Jardim do Éden era um lugar onde Adão e Eva desfrutavam de um relacionamento íntimo com Deus, mas isso não era mais possível, por causa do pecado, então foram expulsos do Jardim . Os efeitos da QUEDA foram devastadores. Toda humanidade é essencialmente corrompida, todos estão separados de Deus por causa do pecado. Todos estão debaixo da ira e do juízo de Deus. Adão e Eva sofreram o juízo de Deus. Pecaram contra Deus e tiveram as consequências.
O capítulo 3 de Gênesis é amargo, é duro. O capítulo 3 é de juízo! Mas em meio à desobediência existe a misericórdia, em meio ao pecado existe o perdão, em meio ao juízo existe a graça. Adão e Eva tentaram com seu esforços inúteis esconder e cobrir a sua vergonha, mas não conseguiram (Gn 3.7). A atitude não foi suficiente, as folhas de figueira não podiam cobrir toda a vergonha, todo o pecado. Mas Deus, em seu amor e graça, age e faz vestimentas de pele para Adão e Eva (Gn 3.21). Somente um ato de Deus podia de fato cobrir a vergonha e a nudez da humanidade. O interessante é que Deus havia feito tudo, toda a criação e depois descansou (Gn 2.2). E agora quando ele faz algo, é em uma situação diferente. Antes, Deus havia feito como criador, e agora ele agiu como REDENTOR. Deus nunca descansa como REDENTOR.
Com certeza, tendo um conhecimento mínimo do Antigo Testamento, o versículo 21 do capítulo 3 de Gênesis aponta para os sacrifícios feitos no tabernáculo, onde cordeiros eram sacrificados em favor do pecador, transferindo ao animal a sua culpa e a paz com Deus era restabelecida.
Ao longo de todo o Antigo Testamento podemos perceber, dentro do progresso da revelação de Deus, vários tipos, sombras, características que apontavam para o Cordeiro que viria. Em Gênesis 3 nós vemos a sombra, a tipificação de que nossa vergonha e culpa, de que toda a nossa nudez poderiam ser cobertas, e que isso seria um ato de Deus em nós através do Cordeiro.

Questões para reflexão:
1) Qual era o fundamento do relacionamento entre Deus e a humanidade na criação?
2) Quais foram as consequências do pecado e até onde ele nos impactou?
3) Qual foi as iniciativas de Adão e Eva para “cobrir” o seu pecado?
4) Qual foi a atitude redentora de Deus para com Adão e Eva?
5) Como a atitude redentora de Deus aponta para Cristo?

por Alison Gustavo Lopes Dias.

Deixe uma resposta